8 de novembro de 2014

Tips on how to study - Dicas de como estudar

Texto em Português abaixo           
Scroll down for text in Portuguese


Dear readers!

Sorry for my absence. But discipline has been an issue here. We always need to find motivation to go ahead and study. But now I’m back to my Rosetta Stone project! I found more motivation and that’s why this is a motivational post. I hope this can be helpful for people who also have the same issue.
______


“YOU DID HAVE TIME! YOU DIDN’T HAVE PRIORITY!” This is what my classmates and I heard from an angry professor as a reprimand for not having done our assignment. She continued: “After all these years teaching, I’ve noticed a funny thing: the students who work all day, study at night and have the busiest lives are just the ones who show me more results than those who have all free day to study. The busiest people are the most productive people. Not having time is the kind of excuse that doesn’t fit these days anymore. Lack of time is something you can solve with organization. But lack of priority, lack of discipline and lack of motivation are hard things to solve.” I have to agree with my professor. I do have time to study and I think most people also do. But discipline and motivation are two things I have to constantly struggle to find.

So, what are some of the things I do to help me find discipline and motivation? The purpose of my post today is to share with you some of my “tricks”. I’ve put them in the order I consider more important.

Number 1:
CUT YOUR VICES FROM THE ROOT

Studying is an investment. We generally study because we want to have a better life (better job, more money, broaden our cultural horizons). You can’t change your life if you don’t change yourself. Start with your mind – think as a different person, think as the person you would like to be. You can’t improve your life if you let your old vices and habits take up your time and energy. First of all, ask yourself: WHAT BAD HABITS STOP ME FROM WALKING ON THE PATH TO MY SUCCESS? Now that you’ve named them, try cutting them by the root. You don’t need to be extremely radical, you can simply start by setting specific days for that. There are lots of things that are way more pleasant to our brain than sitting our butts on a chair and studying: going out with friends, going to parties, spending money, going on a date, fooling around on the internet, watching some sitcom or some stupid comedy sketches, or simply spending a long time looking at cuddly cats doing cat things in youtube… I used to spend most of my free time on the internet (that’s a major problem for many people I guess), so on some days I make this pact: TODAY I’M GOING TO BE TOTALLY DISCONNECTED – from my computer, cellphone and everyone.  I even deactivated my Facebook account for some months – that’s an exercise of detachment. Your friends and family should understand that. Once you free yourself from the more attractive things that stop you, you force yourself to go ahead.

Number 2:
WAKE UP EARLY! ORGANIZE YOUR LIFE… AND YOUR BEDROOM.
If your life is a mess, you won’t be able to concentrate on your studies. If you can’t undo all the mess in your life, at least undo the mess in your bedroom. Once I talked to a lady that has a very busy life. But she is very active and full of energy. She said: “What’s my secret? If you wake up early every day, do your bed, straighten up your room, take a shower and stay beautiful, there is nothing you can’t do! The rest of your day will be very productive. Wake up late, leave your bedroom a mess, stay ugly, don’t brush your teeth and the rest of your day will be as lousy and stinky as your bedroom and yourself.”

That makes some sense – at least it works for me. If I study at a clean and appropriate environment and if I take care of myself, I have more motivation to study.

Number 3:
TAKE CARE OF YOURSELF!
Mens sana in corpore sano (a sound mind in a sound body) – everybody knows that, but it seems that
few people are always able to follow that. So it’s never enough to emphasize: healthy food, good sleep and physical exercises can be essential for a good mind.

Number4:
SILENCE
If you live with other people and the house is generally noisy, that can be a problem. I need a lot of silence and concentration to study, especially when I read, and it’s not always convenient to go somewhere else. So I've bought some silicone earplugs. That helps. They are very cheap and can be bought at any pharmacy.


Number 5:
GET SOME CAFFEINE
I know some people don’t like it, but when I’m down and lazy, some caffeine can help me cheer up. I drink some strong coffee, some energetic drink (like Red Bull) or guaraná in powder (only one teaspoon in some water). Guaraná is rich in caffeine, and in Brazil we can buy it in any store that sells natural stuff (but I’m not talking about the famous  Brazilian softdrink foreigners love, I’m talking about the extract of the plant). But be careful, these things can intoxicate you if you take too much.

RITALIN: DOES IT WORK?
This is a drug you can only get with a doctor’s prescription, at least in Brazil. I’ve read about it and some people say these pills are magic in helping you concentrate and study (people who claim that are specially those who sell the drug illegally on the internet). So I’ve decided to take the risk and try. Is it worth? Do I recommend it? TOTALLY NOT. I’ve tried the pills for one week or so, it just made me feel strange, gave me insomnia and headaches, I felt terrible because I couldn’t sleep, I felt extremely tired and my head felt really heavy. Unfortunately there is no such thing as a magic pill that will make you a genius. If you have ever considered taking Ritalin, I’d tell you to forget it and do something better: GET REAL AND STUDY – there is no magic shortcut.

Number 5:
CHANGE ENVIROMENTS
I generally study in my bedroom, but sometimes I go to different places: my garden, a library, a park... When I walk my dog, I always take some lessons in audio with me. Maybe you won’t have energy to stay inside your bedroom studying for hours, but you will find more energy by simply standing up and going somewhere else.

Number 6:
STUDY MORE THAN ONE THING
Studying the same thing for hours can be tiring. But we can get more energy if we study something else and use different media (audio, video, books, etc.). For example: I study one or two hours with Rosetta Stone and then I watch some documentary to relax and practice my Italian listening and learn more about history at the same time, or then read a book, or listen to some audio lesson.

Number 7:
ESTABLISH GOALS
Studying by yourself can be hard because there is no deadline and no one to boss you and force you to go ahead. You need to be your own boss and establish a deadline to complete certain things. A friend told me to make a study plan and put it up on the wall where I can always see. I'm planning to do that. hahaha

Number 8:
DON’T JUST MAKE PLANS, START RIGHT NOW!
 
"The rule is, jam to-morrow and jam yesterday – but never jam to-day."
"It must come sometimes to 'jam to-day'," Alice objected.
"No, it can't," said the Queen. "It's jam every other day: to-day isn't any other day, you know."
"I don't understand you," said Alice. "It's dreadfully confusing!"
 (Lewis Carroll)

That reflects many of the plans we have in life: we end up never having jam. We can’t live inside our
imaginary plans. Don’t make up excuses in your mind for not starting doing things. This moment is the only real time – if you want to have contact with reality, if you want to have some jam, the time is now!

And you, dear readers, what do you do to help you study and achieve your goals? Do these tips work for you? Leave a comment and let me know!

                                                                 
                                                                 

DICAS DE COMO ESTUDAR

Caros leitores!

Desculpem-me pela ausência – faltou um pouco de disciplina por aqui. Motivação é algo que sempre devemos procurar para continuar estudando. Mas agora estou de volta e firme no meu projeto com o Rosetta Stone. Consegui encontrar mais motivação e por isso esta postagem “motivacional”. Espero que possa ser útil àqueles que também precisam de um empurrãozinho...
_____


“VOCÊS TIVERAM TEMPO, SIM! O QUE VOCÊS NÃO TIVERAM É PRI-O-RI-DA-DE!” Foi isso que meus colegas de classe e eu ouvimos de uma professora irritada depois de saber que poucos tinham feito o trabalho. Ela continuou: “Depois de todos esses anos ensinando, percebi algo intrigante: os alunos que trabalham o dia todo, estudam à noite e têm a vida mais ocupada são justamente os alunos que me mostram mais resultados do que aqueles que têm o dia todo livre para estudar. As pessoas mais ocupadas são as mais produtivas. Dizer que não teve tempo é o tipo de desculpa que não cabe mais nos dias de hoje. Falta de tempo é algo que você consegue resolver com organização. Mas falta de prioridade, falta de disciplina e falta de motivação são coisas mais difíceis de resolver.” Tenho que concordar com minha professora. Eu tenho tempo para estudar e acho que a maioria das pessoas também tem. Mas disciplina e motivação são duas coisas pelas quais eu tenho que lutar constantemente.

Então, quais são algumas das coisas que eu faço para me ajudar a encontrar disciplina e motivação? O objetivo da postagem de hoje é compartilhar com vocês algumas dicas que funcionam comigo. Coloquei-as na ordem que considero mais importante.

Número 1:
CORTE SEUS VÍCIOS PELA RAIZ
Estudar é um investimento. Estudamos porque geralmente queremos ter uma vida melhor (um melhor emprego, mais dinheiro, mais cultura). Você não poderá mudar sua vida se não mudar você mesmo. Comece com sua mente – pense como outra pessoa, pense como a pessoa que você gostaria de ser. Você não pode melhorar sua vida se você permitir que seus velhos vícios e hábitos consumam seu tempo e sua energia. Primeiro de tudo, pergunte-se: QUAIS SÃO OS HÁBITOS RUINS QUE ME IMPEDEM DE TRILHAR MEU CAMINHO PARA O SUCESSO? Agora que você os enumerou, corte-os pela raiz. Não precisa ser tão radical, você pode começar simplesmente estipulando dias para isso. Há várias coisas que são muito mais atrativas para nosso cérebro do que sentar a bunda numa cadeira e estudar:  sair com amigos, ir a festas, gastar dinheiro, namorar, perder tempo com besteiras na internet, assistir a seriados, ver vídeos de comédia estúpidos ou simplesmente ficar vendo gatinhos fofos fazendo gatices no youtube... Eu costumava passar a maior parte do meu tempo livre na internet (acredito que esse seja o maior problema para muitas pessoas), então escolho alguns dias para fazer este pacto: HOJE VOU FICAR TOTALMENTE DESCONECTADO – do meu computador, do celular e de todo mundo. Cheguei até a desativar por alguns meses minha conta do Facebook – é um exercício de desprendimento. Sua família e amigos devem entender isso. A partir do momento em que você se livra de coisas mais atrativas que te impedem de prosseguir, você não terá escolha e será obrigado a trabalhar.

Número 2:
ACORDE CEDO! ORGANIZE SUA VIDA... E SEU QUARTO.
Se sua vida é uma bagunça, vai ser difícil se concentrar nos estudos. Se você não pode desfazer a bagunça que é a sua vida, desfazer a bagunça do seu quarto já é um começo. Certa vez conversei com uma senhora que tem a vida muito ocupada. Mas ela é muito ativa e cheia de energia. Ela disse: “Qual o meu segredo? Se você acordar cedo todos os dias, arrumar a cama, ajeitar o quarto, tomar um banho e ficar bonita, não há nada que você não possa fazer! O restante do seu dia será produtivo. Acorde tarde, deixe o quarto uma bagunça, fique feio, não escove os dentes... e terá um dia feio e fedido como seu quarto e você mesmo.”

Isso faz algum sentido – pelo menos funciona comigo. Se eu estudo em um ambiente limpo e apropriado e cuido de mim e da minha aparência, tenho mais motivação para estudar.
Droga, me esqueci de ir pra
academia hoje!
São 8 anos seguidos agora.

Número 3:
CUIDE-SE!
Mens sana in corpore sano (mente sã em um corpo são) – todos sabemos disso, mas parece que poucos conseguem seguir a dica. Então nunca é demais enfatizar: alimentação saudável, dormir bem e exercícios físicos podem ser essenciais para uma mente bem preparada para os estudos.

Número 4:
SILÊNCIO
Se você mora com pessoas barulhentas ou se os cômodos não possuem um bom isolamento acústico, isso pode ser um problema. Eu mesmo preciso de muito silêncio e concentração para estudar, especialmente quando faço leituras, e nem sempre é conveniente procurar um lugar com menos barulho. Então eu comprei protetores auriculares de silicone – ajudam. São baratos e podem ser encontrados em farmácias.

Número 5:
TOME UM POUCO DE CAFEÍNA
Algumas pessoas não recomendariam, mas quando estou meio pra baixo e preguiçoso, um pouco de
cafeína me ajuda. Tome um café forte, um energético (tipo Red Bull) ou guaraná em pó (somente uma colher de chá com um pouco de água). Guaraná é rico em cafeína e pode ser comprado em qualquer loja que vende produtos naturais – o pó a granel é bem barato, as cápsulas são mais caras. Mas cuidado, muita cafeína pode intoxicar o corpo.

RITALINA FUNCIONA?
Essa é uma droga vendida nas farmácias somente com receita médica. Algumas pessoas dizem que são pílulas mágicas para ajudar na concentração e nos estudos (geralmente pessoas que vendem ilegalmente na internet). Então decidi arriscar e experimentar. Vale a pena? Posso recomendar? TOTALMENTE NÃO. Experimentei por uma semana, a reação: mudou meu humor, me senti estranho, tive insônia e dores de cabeça, me senti horrível porque não conseguia dormir, fiquei muito cansado e com a cabeça pesada. Infelizmente não existem pílulas mágicas que nos transforme em gênios. Se você já considerou tomar Ritalina, eu recomendaria que você esqueça e faça algo melhor: CAIA NA REAL E ESTUDE! Não existe um atalho mágico.

Número 5:
TROQUE DE AMBIENTE
Geralmente estudo no meu quarto, mas às vezes vou a lugares diferentes: meu jardim, uma biblioteca, um parque... Quando saio para caminhar com minha cachorra, sempre levo lições de áudio comigo. Talvez você não tenha energia nem paciência para ficar trancado num quarto estudando por horas, mas vai encontrar mais energia simplesmente ao levantar-se e ir para outro lugar.

Número 6:
STUDE MAIS DE UMA COISA
Estudar a mesma coisa por horas pode ser cansativo. Mas podemos conseguir mais energia se estudamos algo diferente ou usamos diferentes meios (áudio, vídeo, livros, etc.). Por exemplo: estudo por uma ou duas horas com o Rosetta Stone e depois assisto a algum documentário para relaxar, praticar meu ouvido com o italiano a aprender um pouco de história ao mesmo tempo, ou então leio algum livro, ou escuto alguma lição em áudio.

Número 7:
Quando alguém me pergunta sobre meu futuro:
Eu realmente aparento ser um cara com um plano?
ESTABELEÇA METAS
Estudar sozinho pode ser complicado porque não temos prazos ou alguém para nos cobrar e forçar a seguir em frente. Você precisa ser seu próprio chefe e estabelecer um prazo para completar algum plano. Uma amiga me deu a sugestão de fazer um plano de estudos e colar na parede onde eu possa sempre ver. Estou planejando fazer isso. hahaha


Número 8:
NÃO VIVA DE PLANOS, COMECE JÁ!

É sábado!!! Nem tente me incomodar.
<<A regra é: geleia amanhã e geleia ontem - mas nunca geleia hoje.
- Mesmo assim, algum dia tem de ser "geleia hoje", Majestade! - objetou Alice.
- Não, não pode ser assim - disse a Rainha. - A geleia é servida sempre dia sim, dia não: e hoje é dia não. Entendeu?
- Não, não compreendi - respondeu Alice. - Isso é terrivelmente confuso!>>
 (Lewis Carroll)


Isso reflete muitos dos planos que temos na vida: acabamos nunca tendo geleia. Não podemos viver nos nossos planos imaginários. Não crie desculpas na sua mente para não começar a fazer as coisas. O agora é o único tempo real – se você quer ter contato com a realidade, se você quer um pouco de geleia, o tempo é agora!

E vocês, caros leitores, o que fazem para ajudar-lhes a estudar e alcançar seus objetivos? Essas dicas funcionam com vocês? Deixem seus comentários!

8 comentários:

  1. Você acha que é possível estudar mais de uma língua ao mesmo tempo no Rosetta Stone?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível não é (risos)... mas acho que o maior problema seria confundir as línguas se forem muito próximas (como italiano e espanhol). Mas se for por exemplo italiano e inglês, não vejo problema nesse caso. Daí é questão de você ter disciplina pra continuar os dois cursos, porque aprender línguas é muito parecido com fazer musculação: são atividades ingratas. Se eu ficar uma semana inteira sem ir pra academia, preciso recomeçar o treino e diminuir os pesos e vou sentir dores musculares. Fiquei quase um mês sem abrir o Rosetta Stone de Alemão, tentei retomar do ponto onde parei (nível 5) e não consegui, esqueci muita coisa e tive que fazer uma revisão geral. Se você não é disciplinado, talvez seja melhor tentar se concentrar só em uma língua e procurar não parar.

      Excluir
    2. Ok, entendi!

      A propósito, muito bom o seu post. Sou o rei da procrastinação. Esperar a melhor hora pra fazer tal coisa nunca funciona!

      Já que você fala tão bem inglês, poderia me ajudar? Eu consigo ler na língua com certa facilidade, dando uma olhada ou outra no dicionário poucas vezes. Porém, na hora de produzir e escrever textos, eu simplesmente travo, esqueço até a conjugação do verbo to be, hehe. Gostaria de algo que me desse fluência. Será que o Rosetta Stone pode me ajudar nisso? Pelo o que vi, ele simula bem uma conversa "real", e é justamente o que eu preciso. Considero meu inglês B1.

      Uma pequena dúvida: Se você errar muitas questão de uma lição, você consegue avançar no RS?

      Obrigado!

      Excluir
    3. COMO OBTER FLUÊNCIA NUMA LÍNGUA?
      Bem, como você já tem o nível intermediário, se eu fosse você, eu faria todos os níveis do RS, iniciando do nível 1 para revisar e reforçar o que você já sabe, fazendo apenas alguns exercícios, focalizando por exemplo em “pronunciation” ou “speaking”, e quando chegar num ponto que perceber que está ficando difícil, o ideal seria fazer pelo menos todas as “core lessons” (e sim, é possível prosseguir mesmo errando demais, mas não seria o ideal, né). É isso o que pretendo fazer com o Francês, acho que meu caso é o mesmo que o seu: eu tenho nível intermediário de Francês, consigo entender um pouco, ler alguma coisa, mas na hora de escrever ou falar eu travo.

      Tudo isso ajuda muito, mas nada melhor do que CONVERSAR com pessoas reais e se possível ter um contato intenso. Por conta da rede de hospedagem do Esperanto, já recebi alguns estrangeiros na minha casa, entre eles um casal de franceses. Meu Esperanto e meu Francês estavam ambos muito enferrujados, e eles só falavam essas duas línguas. Eles ficaram na minha casa por uma semana, e não foi problema nenhum! Usamos só essas duas línguas e em pouco tempo as palavras começavam a surgir naturalmente na minha cabeça – PARECIA MÁGICA!!! Também fui ao Congresso Brasileiro de Esperanto este ano, fiquei em contato direto com outros esperantistas por uma semana – eu estava com medo porque fiquei sem estudar e sem praticar por alguns anos. Então antes de ir ao congresso, eu tentava falar Esperanto na minha cabeça mas travava e não tive tempo de estudar. Mas foi incrível: fazíamos tudo em Esperanto... palestras, discussões, passeios, na mesa de bar, na praia, no restaurante, no hotel, ao deitar, ao acordar... TUDO em Esperanto!!! O contato com pessoas que só falavam a língua fez eu me sentir quase como se fosse minha língua nativa – brasileiros, argentinos, africanos, europeus: falávamos todos na mesma língua de igual pra igual.

      Então minha dica é que você estude bastante pra ter uma boa base, pratique com seriados, filmes, etc. e tenha contato com pessoas que falam a língua. Se ainda não for possível fazer um intercâmbio no exterior, há várias opções: hospedar estrangeiros (isso é mais fácil se você mora numa cidade turística)... você pode aprender Esperanto e se cadastrar no Pasporta Servo (para hospedar estrangeiros e até ser hospedado quando viajar), ou se preferir há também outros serviços similares como o Couchsurfing... (Muito melhor fazer amizade com estrangeiros que falam a língua do que as paredes frias de um hotel, né? E ainda economiza dinheiro!)... ou simplesmente conversar com seus amigos que falam inglês. Enfim, quando você utilizar a língua em situações reais daí sim tudo o que você estudou vai fazer mais sentido pra você.

      Excluir
  2. Caramba, valeu mesmo!! Obrigado pela sua atenção.

    ResponderExcluir
  3. Ei, atualize o blog! Nos diga como está o seu curso de alemão...

    ResponderExcluir
  4. Hoje completa 1 ano sem atualização :'(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faz tanto tempo assim, faz??? Bem, já terminei o curso de alemão faz bastante tempo... Eu fiquei de fazer um vídeo e uma análise detalhada do curso, mas acabei adiando... surgiram vários outros projetos na minha vida e fui deixando o alemão pra depois... e língua se não praticar acaba enferrujando... eu nunca pratico alemão. Mas sei o básico. A boa notícia: convivi por uns 15 dias com uns amigos alemães, conseguia me comunicar na língua. O problema é que eles falam inglês, então na maioria das vezes dava preguiça e falávamos em inglês. Mas se surpreenderam com minha capacidade de entender e responder.

      Quanto à atualização, não tenho previsão de quando vou fazer. Agora estou estudando para algumas provas... Se eu tirar um dia pra revisar o alemão e atualizar o blog, vou ficar com remorso de não fazer outras prioridades.. rrrsssss.... Mas por outro lado fico feliz que vocês achem o blog útil.

      Excluir