3 de junho de 2017

CURSOS DE IDIOMAS GLOBO - Review

DOWNLOAD do material completo:
https://mega.nz/#F!CRYwnR7L!qDVaF-KxOF64iwAAIYIP3w

ATUALIZAÇÃO!
Uau! Minha última postagem por aqui foi em 2014. O tempo passa! Percebi que muitos leitores continuaram por aqui e outros novos surgiram, deixando comentários, os quais também respondi. Mas não abandonei os estudos!

ROSETTA STONE ALEMÃO - NÍVEL 5
Atualizando rapidamente: terminei sim os 5 níveis do Rosetta Stone Alemão. Fiquei de fazer um vídeo (como eu havia feito ao terminar o curso de Italiano, veja aqui!), mas fui deixando... e acabei não fazendo. Pois bem: não me tornei fluente em Alemão. Certamente é muito mais difícil do que Italiano e senti que aprendi bem menos. Mas, nesses últimos anos tive oportunidade de conhecer a Europa, fiquei 10 dias na Alemanha e o conhecimento que adquiri foi mais do que suficiente pra eu poder me virar sozinho com a língua em situações de turista: hotel, restaurantes, táxi, pedir informações, etc. Também tenho alguns amigos alemães - consigo ter conversas simples em Alemão, cometendo muitos erros, claro.

Mas... como sempre digo aos meus alunos: estudar línguas não é simplesmente alcançar um certo nível e o trabalho estará lindo e concluído. Há o risco de se perder. É muito parecido com o esforço de alguém que faz musculação: é preciso manter a prática sempre, senão murcha. Infelizmente não pratico Alemão... Depois de terminar o Rosetta Stone, há quase 3 anos, não estudei mais nada... então eu precisaria fazer uma boa revisão antes de eu poder fazer um vídeo... acho que ainda vai demorar um pouco até eu ter esse tempo.

Mas me dediquei bastante ao Italiano. E é disso que eu gostaria de abordar aqui. Vou falar de um curso que é uma boa opção para continuar os estudos depois do Rosetta Stone.



CURSOS DE IDIOMAS GLOBO
NOSTALGIA… 
Os Cursos de Idiomas Globo me fazem lembrar a minha adolescência: anos 90, época sem internet, sem muitos recursos. Vi a propaganda dos Idiomas Globo em uma revista velha: era a imagem de um homem sofisticado, usando terno, com o curso nas mãos, fones de ouvido e um toca-fitas portátil sentando na poltrona de um avião, talvez na primeira classe. A mensagem era clara: estudar línguas era coisa de gente rica. Pedi pra minha mãe pra ligar para o número da editora que estava na revista... ligação DDD naquela época era muito cara, ela me deu fichas pra ligar do orelhão. A atendente disse que infelizmente os cursos já não estavam mais nas bancas e que eles não vendiam por telefone (aquela propaganda já era de anos atrás). Ela disse pra eu esperar por um possível relançamento, mas sem previsão. Pois eu tive que esperar mais uns dez anos até ter internet, mercado livre, sebos virtuais, e ter dinheiro para poder comprar. Hoje tenho a coleção completa!!! Já estudei italiano, francês e espanhol. Naquela época mesmo se a gente tivesse vontade de estudar, não havia oportunidades.... e hoje é tudo muito mais fácil mas muita gente não valoriza.
Enfim, chega de sentimentalismo e nostalgia e vamos à análise!

O QUE SÃO E ONDE ENCONTRAR?
Se você planeja aprender uma nova língua sozinho e sem gastar muito ou nada, os Cursos de Idiomas Globo são uma boa opção. É muito fácil encontrá-los no mercado livre, em sebos pelo Brasil (virtuais e físicos) ou mesmo baixar gratuitamente da internet. Estão entre os mais completos cursos de línguas para autodidatas já publicados no Brasil. Foram editados e publicados originalmente na Espanha pela editora Planeta De Agostini, e a Editora Globo publicou-os no Brasil a partir do final da década de 80 e ao longo da década de 90. 

Vídeos: Comerciais do Brasil e da Espanha dos Cursos de Idiomas, 1999.  




IDIOMAS E ORGANIZAÇÃO
Os idiomas disponíveis são Italiano, Francês, Inglês, Alemão e Espanhol. Cada curso compreende 72 lições distribuídas em mais de 1100 páginas, geralmente em 4 volumes ou 18 fascículos e 18 fitas cassete. Há ainda um curso mais avançado, o Top Level, que compreende 24 lições distribuídas em quase 600 páginas, 9 livretos e 9 fitas cassete. 

Os cursos de Italiano, Francês, Espanhol e Alemão são traduções uns dos outros, ou seja, os livros apresentam os mesmos diálogos e ilustrações correspondentes. Porém os diálogos não são meramente traduzidos ao pé da letra, são na verdade adaptados para cada língua quando há a necessidade de se fazer referência ao universo cultural onde a língua é falada, como alimentação, nomes de lugares, nomes de personalidades do mundo das artes, etc. As adaptações também levam em consideração expressões idiomáticas e peculiaridades de cada língua. Basicamente a estrutura dos cursos é a mesma, mas onde há um texto sobre a Itália no curso de Italiano, por exemplo, o curso de Alemão apresentará um texto sobre a Alemanha; onde no curso de Espanhol fala-se de Julio Iglesias, no de Francês fala-se de Charles Aznavour... Já para a língua inglesa, o curso apresenta diálogos e textos totalmente diferentes dos outros idiomas, há até um outro curso de inglês completamente distinto (referido como Inglês – Família Lovat), e um terceiro curso específico de inglês para negócios (Business English). Esta análise não se aplica a esses dois últimos, pois possuem uma estrutura bem diferente.


METODOLOGIA E UM POUCO DE HISTÓRIA
Os Cursos de Idiomas Globo utilizam como base o método audiovisual que, como o nome sugere, associa sons a imagens. Ou seja, cada frase gravada é associada com uma imagem que ilustra seu sentido. Você deverá ver, ouvir, ler, repetir e finalmente assumir o papel dos personagens e responder. 

O método audiovisual foi inicialmente desenvolvido pela CREDIF (Centre de Recherche et d’Etude pour la Diffusion du Français) na França na década de 1950. É um sucessor do método audiolingual, desenvolvido nos EUA durante a Segunda Guerra Mundial.

A necessidade de ensinar línguas aos soldados, a criação da ONU, as conferências mundiais, o comércio internacional e a revolução técnica e cultural do pós-guerra foram alguns dos elementos que tornaram evidente a necessidade de um método que revolucionasse a aprendizagem de línguas. Foi nesse contexto que nasceu o método audiolingual, baseado em pesquisas na Linguística Estrutural e na Psicologia Behaviorista, que defende que a aquisição de uma língua é um processo mecânico de formação de hábito. O principal foco é a produção oral, repetição exaustiva, memorização, busca da pronúncia perfeita, sem uso de traduções.

Seguindo princípios similares, a CREDIF desenvolveu o método audiovisual, cuja grande diferença do seu antecessor é a utilização de imagens, que possuem tanta importância quanto as gravações. Diferentemente do Método Clássico da Gramática e Tradução, cujo foco é a FORMA (ou seja, o ensino de palavras e frases isoladas, complexidades gramaticais, leitura e tradução de frases abstratas), o foco do método audiovisual é o CONTEÚDO, ou seja, ensino da linguagem do dia-a-dia. Assim, já na primeira lição, o aluno entra em contato com estruturas que serão úteis para interagir imediatamente em situações cotidianas.

Para saber mais sobre o método audiovisual:
AUDIO-VISUAL TEACHING A NEW APPROACH OR A COMPLEMENTARY METHOD?
M. D. CHRISTENSEN
Theoria: A Journal of Social and Political Theory
No. 35 (October 1970), pp. 63-72
https://www.jstor.org/stable/41801863?seq=1#page_scan_tab_contents

Obviamente, as pesquisas na área da linguística avançaram, e hoje esses métodos são considerados obsoletos. A principal crítica é que a aquisição da língua é vista meramente como um processo mecânico, repetição e memorização de estruturas, e os alunos são vistos como papagaios que possuem pouca ou nenhuma autonomia no processo de aprendizagem. No entanto, tais métodos possuem seus méritos e são utilizados ainda hoje até nos cursos mais modernos em combinação com outras abordagens.

ESTRUTURA DAS LIÇÕES
As lições dos Cursos de Idiomas Globo (ou unidades, conforme nomenclatura do material) são divididas nas seguintes seções:

A) Conversação
Essa é a seção principal de cada unidade e onde o método audiovisual é colocado em ação. Você deverá observar as imagens, ouvir cada diálogo duas ou três vezes e receberá orientação sobre quando deve apenas ouvir, repetir ou responder.

B) Vocabulário
Trata-se de uma lista de vocabulário bilíngue, em ordem alfabética, onde constam as novas palavras da lição. Geralmente traz um quadro explicativo esclarecendo peculiaridades do uso das palavras ou algumas questões gramaticais relacionadas aos vocábulos.

C) Diálogo (unidades ímpares)
Esta seção apresenta apenas um diálogo com algumas fotos de cenas reais no país onde a língua é falada. Você ouvirá o diálogo duas vezes: na primeira vez deve apenas ouvir e ler; na segunda, repetir. 

C) Leitura (unidades pares)
Consta de um texto seguido por perguntas de compreensão. O livro orienta a ler primeiro silenciosamente e depois em voz alta. A orientação é responder as perguntas por escrito, conferindo as respostas ao final da unidade.

D) Cenas do cotidiano
Esta seção também consiste em diálogos gravados duas vezes: deve-se primeiro ouvir e então repetir. A finalidade é fazer com que o aluno se familiarize com a linguagem utilizada em situações do cotidiano.

E) Exercícios
Cada unidade traz geralmente três exercícios bastante simples. Os dois primeiros são listas de frases que devem ser transformadas, preenchidas ou respondidas conforme o foco gramatical. O exercício três geralmente traz figuras associadas a frases que devem ser preenchidas ou então reordenadas para formar uma história.

F) Gramática
A gramática consiste em explicações bem detalhadas, diversos exemplos de uso e quadros explicativos.

Exames - Alguns cursos trazem ainda um exame ao final de cada etapa (a cada 18 unidades, o que corresponderia ao final de um volume na edição de 4 volumes). O exame possibilita ver os pontos fortes e fracos da aprendizagem, e, conforme o resultado, recomenda um plano de revisão dos estudos.




TOP LEVEL
O diferencial do curso TOP LEVEL é a seção de conversação que passa a apresentar diálogos autênticos extraídos de trechos de filmes e seriados. Até então, o curso só trazia diálogos artificiais gravados em estúdio com um vocabulário controlado. Na seção de leitura, o TOP LEVEL traz textos autênticos da literatura da língua estudada.
Textos simplificados e diálogos artificiais podem trazer benefício para estudantes de níveis básico e intermediário (embora algumas abordagens já familiarizem o aluno com materiais autênticos desde o início). O estudo por meio de amostras de linguagem autêntica (extraídas de textos reais, entrevistas, filmes, etc.) é essencial para se alcançar um alto nível de proficiência. E é justamente esse o foco do Top Level.



PONTOS FORTES



- Foco na conversação – Você terá contato com uma linguagem útil para a conversação desde o início. Depois de poucas lições já será capaz de começar a interagir na língua em situações do cotidiano: na rua, com amigos, trabalho, família, etc.
- Referências culturais – As referências culturais estão por toda parte. Eu fiz o curso de Italiano e o de Francês, depois visitei a Itália e a França – me surpreendi por já estar familiarizado com vários nomes de lugares, regiões, cidades, praças, edificações, pontos turísticos, pratos típicos, etc. Os diálogos fazem referências frequentes a esses elementos. Quase todas as páginas trazem fotos que ilustram a cultura e mostram lugares do país.
Referências culturais em quase todas as páginas.
Além de textos culturalmente relevantes, 
falando da história, geografia e costumes, 
há também imagens retratando cidades, pontos turísticos, 
monumentos, praças, paisagens e a vida cotidiana.



- Linguagem coloquial e expressões idiomáticas – Diferentemente do Rosetta Stone, cujos cursos são meras traduções uns dos outros, e por isso não aborda as peculiaridades de cada língua e nunca traz expressões idiomáticas, com os Idiomas Globo você terá contato com elementos da língua como é realmente falada em situações do dia-a-dia.
- Gramática detalhada - o curso é ideal para aqueles que querem se aprofundar na gramática. O ponto positivo é que a seção gramatical está no final de cada lição. Essa característica condiz com a prática das metodologias modernas, que defendem que a gramática deve ser abordada apenas depois da prática das estruturas e do uso efetivo da língua, ou seja, a gramática vista como uma ferramenta e não como foco principal da aprendizagem.
- Audiovisual – as imagens associadas a cada frase facilitam a compreensão e ajudam a fixar o conteúdo estudado.
- Fácil de seguir, se comparado a métodos tradicionais. O apoio do áudio e das imagens é bastante amplo, constituindo a maior parte do material, o que torna o curso menos enfadonho e encoraja o aluno a prosseguir.
Curso completo – O curso é bastante completo e consistente, permitindo ao estudante uma aprendizagem aprofundada da língua. Como já destaquei, é um dos mais completos do gênero já publicados no Brasil.



PONTOS FRACOS

- Difícil responder as perguntas dos diálogos na parte da conversação. Você ouvirá cada diálogo apenas duas vezes (ou somente uma vez!), e depois deve se lembrar de tudo para poder responder. Na maioria das vezes isso é bastante difícil.  Se for seguir o método conforme o previsto, esse passo perde o sentido – a solução é voltar a gravação, dar pausa, tentar memorizar e repetir mais vezes até fixar melhor.
- Pouca prática de vocabulário - Só há exercícios de gramática mas não de vocabulário. Algumas palavras e expressões novas são usadas apenas uma vez, por isso é difícil de fixar. O que existe é uma lista de vocabulário bilíngue em cada lição – a solução para tentar fixar é utilizando o método tradicional: decoreba.
- Nenhuma atenção à Fonética – Em nenhum momento o material traz explicações sobre como pronunciar sons específicos da língua.
- Fotos sem legenda. Um ponto forte é que o curso apresenta diversas fotos de lugares do país onde a língua é falada. O ponto fraco é que nenhuma dessas fotos possui legenda ou explicação. Então você vê, por exemplo, uma bela edificação, monumento, vista panorâmica de alguma cidade, mas pode não ter a mínima ideia do que se trata, em que cidade aquilo está situado, etc. Ao estudar italiano, uma foto de várias pessoas entrando num prédio pode ter pouco significado ou relevância para mim já que a única informação que eu tenho é que a cena se passa na Itália. Depois de visitar algumas cidades italianas e já de volta ao Brasil, resolvi reabrir o livro, só então eu fui reconhecer algumas das fotos.
- Explicações gramaticais rebuscadas – Algumas vezes as explicações gramaticais são confusas, trazendo uma terminologia que pode não ser familiar ao público geral. Aqueles que preferem explicações claras e simples nem sempre vão simpatizar com esta seção.
- Obsoleto - Embora seja fácil de seguir se comparado com métodos tradicionais, é mais denso e difícil se consideramos materiais mais modernos, que por vezes possuem vídeos e atividades interativas.

QUAL NÍVEL VOU ALCANÇAR?
É plenamente possível alcançar o nível avançado com o curso. Eu terminei os 4 volumes de Italiano (não fiz o Top Level) alcançando o nível C1 (já havia feito o Rosetta Stone antes).

EM QUANTO TEMPO POSSO FAZER O CURSO?
O tempo é bastante relativo e pode variar muito pois vai depender de cada estudante (tempo para analisar os diálogos, memorizar o vocabulário, analisar e reler os textos, resolver os exercícios, estudar a gramática, revisão, etc...). Se for fazer tudo de forma detalhada, pode-se levar em torno de 1h30min a 2 horas por lição. Considerando os 4 volumes, é material suficiente para umas 150 horas de curso. Claro que se a pessoa já tem conhecimento, se fez antes o Rosetta Stone, por exemplo, pode acelerar bastante no início.

VALE A PENA?
Sim, claro. Mas por ser um material “antigo”, eu recomendaria principalmente para entusiastas, pessoas que gostam de aprender línguas. Se você não tem muita inclinação pela aprendizagem de idiomas e precisa aprender por obrigação, eu recomendaria algum curso mais moderno. O Pimsleur, o Rosetta Stone e o famoso Duolingo são opções convenientes para o público geral para um primeiro contato com a língua. E para prosseguir os estudos, os vídeo-cursos, por exemplo, são opções mais amigáveis e menos cansativas comparando aos Cursos de Idiomas Globo.

Mas certamente todos que tiverem paciência e dedicação poderão fazer grande proveito do curso.

E PARA O ENSINO, POSSO RECOMENDAR?
Este material já tem uns 30 anos e é baseado em princípios dos métodos audiolingual e audiovisual, hoje considerados obsoletos. Como mencionei anteriormente, as metodologias para o ensino de línguas evoluíram bastante desde então. Contudo, não seria nenhum pecado utilizar os Cursos de Idiomas Globo como um simples material de apoio, já que as próprias metodologias modernas mesclam diversos recursos. Mas talvez todos os profissionais do ensino de línguas que conhecem ao menos um pouco de Linguística irão torcer o nariz se você disser que utiliza esses cursos como material principal.

Se você quer escolher um curso principal para utilizar nas suas aulas, é mais seguro optar pelas grandes editoras, materiais mais atualizados, que tragam recursos multimídia e propostas de atividades nas quais os alunos possam simular situações reais e colocar o idioma em prática como uma verdadeira ferramenta de comunicação. O ensino de línguas jamais deve se resumir a um mero treino de repetição e memorização ou como uma matéria predominantemente teórica.




CONTE SUA EXPERIÊNCIA!
Ficaram com vontade de estudar? Bem, eu gostaria de saber sobre suas experiências ou expectativas caso pretendam seguir o curso. Ou então contem por que não usariam este material. Sei que faz parte da história da aprendizagem de muita gente na década de 90, e muitos veem com nostalgia.

Se vocês têm histórias pra contar, opiniões, dúvidas, dar ou pedir recomendações... deixem nos comentários.

Obrigado!

92 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá! Acho que a forma mais fácil é vc procurar por Rosetta Stone apk e instalar o aplicativo no seu celular ou tablet Android. Existe a versão oficial paga na Playstore, ou a versão craqueada pela internet. Vc também pode procurar pelo programa pra instalar no computador, é um pouco mais complicado, tem um monte de instruções, mas existem vários tutoriais ensinando. Só não coloco links aqui porque não sei se funcionam, e não quero me responsabilizar caso vc baixe algum vírus.

      Caso vc queria investir, de repente vale a versão paga, que te dá direito a algumas lições com professor online. Sai bem mais barato do que professor particular.

      Excluir
  2. Que felicidade, você voltou! Gosto muito dos seus reviews, pois, além de conhecer novos métodos, você nos incentiva a usá-los! Nunca tentei mais a fundo esse curso por falta de disciplina. Bom, agora é um bom motivo pra voltar.

    Valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gosta do blog! Fico feliz que de alguma forma estou ajudando e incentivando as pessoas. E sim, se vc gosta de línguas, vale a pena fazer um esforço e estudar com esse curso. Obrigado pela mensagem.

      Excluir
  3. Vou começar a estudar esse material da Globo idiomas, já possuo mas não tinha levado a sério, agora vou recomeçar e terminar, vamos ver se para mim vai funcionar.

    ResponderExcluir
  4. Olá!!! Fiquei feliz de achar seu Blog, pois comecei a estudar esse curso, em fita k7 mesmo, terminei os 18 livros do básico/intermediário e entrei para o top Level, chegando, até o momento, na lição 23. Estou repetindo o básico, mas apenas com leitura, para ver se memorizo mais. Despendi muito esforço até chegar no livro 23, que é quinto livro do top level. Fui à Nova York sozinho , me confiando no idioma, passei alguns transtornos, mas conseguia formular quase todo tipo de frase e pergunta. o problema foi o listening e desenvolver uma conversa. quando viajei, só tinha três meses de curso, embora todos os dias. Você acha que eu deveria usar meu esforço para um curso mais moderno e de inglês americano??? Só tenho interesse em ir aos EUA, mesmo. Ou você acha que devo concluir a metade que me resta do top level??? De antemão fico grato pela sua publicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, estudar nunca é demais... então eu recomendaria que você terminasse o Top Level, mas se o seu foco é o inglês americano, certamente vai precisar focalizar seus estudos nisso. Mas não se sinta frustrado pela sua experiência em Nova Iorque por não entender tudo, isso não acontece só com você... Desenvolver o listening em inglês é uma habilidade particularmente difícil, mais difícil do que várias outras línguas. Isso não só pelo fato de ser uma língua internacional e existirem vários sotaques e variações, mas também porque o inglês não é uma língua silábica como o Português, Espanhol ou Italiano, o inglês é uma "stress-timed language". Quer dizer, nós costumamos falar todas as sílabas das palavras e também esperamos ouvir todas as sílabas... mas no inglês é diferente: eles falam a sílaba tônica das palavras (word stress), ou focalizam em certas palavras nas frases (sentence stress) e "engolem" todo o resto... E como esperamos ouvir tudo, ficamos boiando. Os Cursos de Idiomas da Globo pecam por não trazerem nada de fonética... se antes de ir pra NY você tivesse estudado um pouco de fonética do inglês americano, e praticado mais com esse enfoque, talvez teria sido mais fácil entender.

      https://www.youtube.com/watch?v=PrAe07KluZY

      Se você quer investir no inglês, eu recomendaria que vc estudasse bastante sozinho a ponto de poder se matricular em um curso pós-avançado... Ou quem sabe fazer um curso desses no exterior. Foi o que eu fiz com o Italiano. Como eu já cheguei na Itália falando a língua, me matriculei em uma escola e me colocaram logo no nível avançado. Foi um investimento de um intensivo de mês... não é muito barato, 500-600 euros por um certificado avançado. Mas os trabalhos de tradução que eu fiz já cobriram meu investimento. E com o inglês vc sempre terá trabalho (apesar de geralmente pagarem pouco, mas tem), seja com aula ou traduções. Dependendo dos seus objetivos e interesses, pode valer a pena.

      Excluir
  5. Parabéns pelo Blog, que bom encontrar um Blog de pessoas que amama aprender linguas . Vou relatar um pouco aminha historia com o curso de Idiomas Globo, é muita nostalgia rsrsr , pra mim é o melhor curso para autodidata, claro que isso depende da opinião de cada um, ou seja vai muito do gosto pessoal. Odiava o Inglês a ponto de ter bloqueios em cursos normais, fiz esses cursos de famosas escolas e não aprendia nada so o famoso the book on the table, alias essas é umas das primeiras liçoes do curso de idiomas globo do inglês rsrsrsrs . Resolvi experimentar o curso de Idiomas Globo, estudei de forma rígida, com disciplina a, chegando a três, quatro horas por dia a ponto de em dois anos já esta comunicando bem em inglês e o melhor o curso de idiomas Globo despertou em mim o gosto por línguas e me fez ser protagonista do meu aprendizado que até hoje tiro como lição. Aos amigos que estão comçenando com o curso de idiomas Globo em especial o inglês, tenha o curso com a base do seus estudos e complemente com outros materiais, lembrando que o curso de idiomas globo, inglês, o accent é Received Pronunciation, inglês Britãnico. Eu uso o curso até hoje, de dois em dois meses repito o basico todo audios e pdf para guardar em especial a gramatica que é uma parte otima , Top level é ideal pois já mistura inglês americano alguma cenas e um inglês bem Britanico, além de pontuar bem as difernças do inglês britanico para o Americano. Quanto ao listening é normal a dificuldade que o amigo citou no comentário anterio, pois listening é igual a banho tem que ser todo dia, eu escuto 1 hora de listening todo dia , BBC, British council, alias o materiais do british council são otimos e existe no seu site uma serie que você pode acompanhar baixando podcasts que ajuda muito, treinar conversação tem varias comunidades no face com pessoas querendo aprender português e ensinar inglês batas procurar, Parto agora para fazer meu IELTS - (International English Language Testing System) para tentar um pós no Canada e começo a aperender o Francês através do curso de idiomas globo para fazer o TEF – Test d'Évaluation de Français.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa sua contribuição. Realmente aprender idiomas requer muita disciplina e se seguir os Idiomas Globo à risca, certamente é possível adquirir uma boa base, até pra fazer pós no Canadá! Eu fiz o curso de italiano porque queria estudar na Itália. Me planejei, fiz o curso completo em poucos meses (não cheguei a fazer o Top Level). Tinha dias que eu levantava às 6 da manhã só pra estudar antes da minha viagem pra Itália. Basicamente eu fiz o Rosetta Stone e o curso de Italiano da Globo. Essa base já me permitiu fazer um curso avançado na Itália e poder acompanhar as aulas na universidade. Enfim... com força de vontade e disciplina a gente consegue!!! E boa sorte com seus estudos tbm!

      Excluir
  6. Muito obrigada, ajudou muito!♡♡♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha ajudado! Obrigado pela mensagem.

      Excluir
  7. O que você acha do Curso moderno de idiomas Larousse inglês ,lançado em 96?Ele é tão completo quanto esse da Globo em termos de nível que se pode alcançar? (acho que tem também de espanhol)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tinha visto esse curso mas nunca tinha parado pra olhar. Dei uma olhada rápida e me parece ser um material bem detalhado e aprofundado. Apresenta bem mais variedade de atividades e exercícios que os Idiomas Globo. A desvantagem é que parece ser menos direto, há mais teoria, enquanto os Idiomas Globo vão direto ao ponto. Eu faria algumas lições com cada material antes de decidir qual seguir definitivamente, vai depender muito da sua afinidade e estilo de aprendizagem. Eu encontrei o material para download aqui: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=952232548250953&id=426487107492169

      Excluir
    2. Eu dei sorte e achei todos os 27 volumes num sebo por 100 mangos.
      E achei todos audios pra download.

      Excluir
    3. 100 reais foi um grande achado! Eu comprei todos os cursos da Globo, alguns achei em sebos por 40 reais completo!!! Mas outros comprei no mercado livre, acho que cheguei a pagar uns 300 reais. Na época que eu comprei, ainda não tinha todo o material digitalizado de graça na internet. Mesmo assim, acho que eu compraria, fetiche de colecionador. Nada melhor que ter o livro físico.

      Excluir
  8. Estou terminando o rosetta stone ingles.
    E ja estou iniciando o curso de idiomas globo.
    Muito obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terminando o Rosetta Stone de inglês? São raras as pessoas que vi que terminaram todo o curso, seria interessante se vc pudesse contar como foi seu progresso. Obrigado pela mensagem.

      Excluir
    2. Cheguei hoje na ultima unidade do penultimo nível.
      Acho qmais 1 mês eu termino ele.
      Ja estou no quarto livro do curso de idiomas globo.
      Vc foi uma grande inspiração pra eu terminar o rosetta.

      Excluir
    3. Uau! Fico feliz mesmo em saber que o blog está incentivando as pessoas. Acho que compartilhar experiências é muito importante como incentivo pra gente prosseguir.

      Excluir
  9. Boa noite! Como você estudava? Uma lição por dia? Havia revisões? Essas são minhas dúvidas na hora de montar o crongrama...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pow vou comentar aki pq tbm quero saber.

      Excluir
    2. Acho que depende muito de como vc aprende melhor: aos poucos ou de forma intensiva? Contando minha experiência como professor: a escola onde eu trabalhava oferecia a possibilidade de fazer um semestre em menos de um mês, 3-4 horas todos os dias em sala de aula + 1 hora de lição de casa. Pode ser cansativo, mas o impacto na aprendizagem era muito grande. Primeiro porque os alunos viam resultados rápidos, e isso os animava bastante pra prosseguir... e depois porque eles conseguiam ter uma visão mais geral do que estavam estudando, não dava tempo de esquecer como em um curso normal uma ou duas vezes por semana... e na semana seguinte tinha que lembrar o que viu na semana passada e tal... A maioria dos alunos achava o intensivo vantajoso, porém alguns acabavam se sentindo muito pressionados e estressados com esse ritmo.

      No meu caso, como não sou muito disciplinado e não consigo manter uma rotina regular de estudos, eu prefiro estudar de forma intensiva. Eu prefiro mergulhar no curso e fazer o máximo possível em pouco tempo até terminar... se eu fizer aos poucos, acabo abandonando.

      Com os cursos da Globo, eu chegava a fazer 3-4 lições por dia (um livreto). Claro que nas mais difíceis eu me concentrava mais. Fazia revisão antes de fazer os exames (depois de 18 lições ou volume completo). Também coloquei os áudios no celular e até hoje ainda ouço um pouco quando não tenho nada pra fazer... enquanto caminho, no ônibus, carro, durante uma viagem, etc.

      Como eu tenho os livros físicos, eu colocava os áudios no tablet e abria com o aplicativo Wavepad, que mostra o gráfico do áudio, então dá pra você "ver" as frases, selecionar e repetir quantas vezes quiser. Eu seguia mais ou menos estes passos:

      1 - Ouvir o diálogo completo uma vez sem ler, tentando entender o máximo (compreensão auditiva).
      2 - Selecionar a primeira frase, ouvir umas 3 vezes e tentar repetir (exercício de compreensão auditiva e pronúncia).
      3 - Ouvir mais uma vez e ver a escrita pra confirmar se repeti corretamente. Ler em voz alta.
      4 - Ouvir e repetir mais uma vez e passar pra próxima frase.
      5 - Ouvir o diálogo outra vez e tentar repetir o mais rápido possível sem ler (exercício pra adquirir fluência, rapidez).
      6 - Finalmente responder as perguntas.

      Eu decorava todo o vocabulário... E quanto às leituras... eu lia uma vez normalmente em silêncio. Lia uma segunda vez analisando o texto com calma, estudando e pesquisando as palavras. A terceira vez em voz alta.

      Enfim.. existem várias maneiras pra se trabalhar o material... Espero ter dado boas ideias.

      Excluir
    3. Quando se estuda uma língua, é importante repetir em voz alta mesmo... O pessoal na sua casa vai achar que vc é louco, falando sozinho numa língua estranha, mas acabam acostumando.

      Excluir
    4. É você q manda aki.
      Ja to baixando o wavepad pra fazer igual.

      Excluir
  10. Meu relato sobre o rosetta:

    https://youtu.be/YB5RDskMupA

    ResponderExcluir
    Respostas


    1. Muito bom o seu relato. Fiquei impressionado por você conseguir ler livros de nível intermediário depois de poucos meses de estudo. Há pessoas que levam anos pra conseguir isso. É uma inspiração pra gente estudar. Acho que o que falta pra maioria das pessoas é disciplina e organização... não tem essa desculpa de "não tenho tempo". Podemos pegar seu exemplo e cortar coisas supérfluas, como aproveitar o tempo em vez de ficar no Facebook, aproveitar as horas vagas, até os minutos de manhã antes de sair da cama. Com dedicação, a gente consegue. Eu tinha dado algumas dicas aqui, de coisas que funcionaram comigo, dicas que peguei de outras pessoas tbm:

      http://rosettastone-challenge.blogspot.com/2014/11/tips-on-how-to-study-dicas-de-como.html

      Excluir
    2. Eddy vc estudou pelo app do cell ou no pc?

      Excluir
    3. Eu estudei pelo programa no computador, com a versão 3 que faz o cálculo da carga horária que vc utiliza. O ruim é que a versão 3 às vezes dava erro na hora de abrir, e tinha que reiniciar o computador. A versão 4 é mais estável, mas não calcula as horas.

      Excluir
    4. Eddy estou estudando nos fasciculos da globo.
      Mas na hora de formular as questoes a maiotia respondo errado.
      Eu q tenho q estudar mais ou essa joça é ruim de formular exercicíos mesmo?

      Excluir
    5. Você se refere à parte A (conversação) na hora de assumir o papel dos personagens? Se seguir o método conforme a gravação (ouvir o diálogo apenas duas vezes e depois responder) realmente é bem difícil. Antes de responder eu ouço e repito várias vezes. Se preferir, dê pausa no áudio e leia o diálogo tentando decorar as falas. Isso vai ajudar bastante a você adquirir fluência. Ou tente seguir a dica que já coloquei acima, vou colar aqui:

      Use um programa como Wavepad ou Audacity que mostra o gráfico do áudio, assim dá pra você "ver" as frases, selecionar e repetir quantas vezes quiser. Eu seguia mais ou menos estes passos:

      1 - Ouvir o diálogo completo uma vez sem ler, tentando entender o máximo (compreensão auditiva).
      2 - Selecionar a primeira frase, ouvir umas 3 vezes e tentar repetir (exercício de compreensão auditiva e pronúncia).
      3 - Ouvir mais uma vez e ver a escrita pra confirmar se repeti corretamente. Ler em voz alta.
      4 - Ouvir e repetir mais uma vez e passar pra próxima frase.
      5 - Ouvir o diálogo outra vez e tentar repetir o mais rápido possível sem ler (exercício pra adquirir fluência, rapidez).
      6 - Finalmente responder as perguntas.

      Excluir
    6. To falanfo do proprios exercício no qual muitos precisam formular perguntas no passado etc...
      Eu entendo perfeitamente mas na hora de botar no papel e formular tenho muita dificuldade.

      Excluir
  11. Esse fds eu começo a estudar inglês..
    Ainda em dúvida,se com o Curso de Idiomas Globo ou Assimil..
    Voltarei aqui fim do ano ou meados de Janeiro..
    Para relatar minha experiência..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O método Assimil é bem mais simplificado. O material da Globo é muito mais rico... Eu estudei Italiano com o da Globo e usei o Assimil só como material complementar... de reforço. Dê uma olhada tbm no curso de inglês da Larousse. https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=952232548250953&id=426487107492169

      Excluir
    2. Ok,ficarei com o da Globo..

      Excluir
  12. Terminando esse curso da globo e o rosetta stone estarei apto a ler livros em inglês?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Principalmente se você fizer o Top Level. Tem muita atividade pra ler literatura na língua que você está estudando. Há também gravações do áudio de trechos de filmes e seriados, então você vai poder acompanhar melhor sem legenda.

      Excluir
  13. Tenho nível intermediário em inglês e estou estudando para chegar ao inglês fluente e avançado.Estou terminando esse curso da globo e planejo fazer o da larousse.Fora outros meios de estudo e prática,como ouvir muita musica, filme e etc...E também estou estudando gramática da lingua inglesa:os três volumes do Grammar in use.E minha pergunta é:será que consigo serviço de tradução, tipo freelancer mesmo não tendo faculdade nem nenhum curso na área?Será que da pra sobreviver com isso,pelo menos até conseguir juntar uma grana e fazer um curso ou faculdade de letras para me especializar?
    obs:sou bom em português e também estudo gramática pois sei que é importante para o tradutor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiz uma enquete em um grupo de professores de inglês e tradutores (link abaixo), eles responderam que o fator número 1 pra ter sucesso profissional na área é MARKETING PESSOAL e EMPREENDEDORISMO. Outros fatores são, nesta ordem:
      2 - Curso e vivência no exterior
      3 - CELTA/TELF (curso de formação para professores de inglês, caso vc queira se tornar um)
      4 - Certificado de proficiência (como de Cambridge C1 ou C2, pode ser um diferencial como tradutor)
      5 - Curso de Letras.

      Ou seja, o curso de Letras ficou como 5a indicação. As pessoas que fazem Letras muitas vezes não sentem o curso como um diferencial porque infelizmente não é valorizado como deveria. Você pode ter Letras, pós-graduação, vários cursos e muito talento intelectual... mas sem empreendedorismo, sem se vender, você não vai conseguir fazer dinheiro como freelance, vai continuar pobre como muitos que fazem Letras (infelizmente). Em compensação, há pessoas muito talentosas pra se vender e encontrar clientes, e conseguem fazer muito dinheiro mesmo sem Letras. É um livre mercado, não tem regulamentação ou um caminho específico.

      Eu trabalho como professor e tradutor, mas a maioria dos meus colegas se formaram em outras áreas e as possibilidades de ganhos são as mesmas. Ou seja, precisa ver se Letras vai valer o investimento. Você poderia escolher outro curso que te dê uma outra alternativa de trabalho e ainda assim dar aula de inglês e traduzir. Eu comecei como você, fazendo as duas coisas... traduzia trabalhos simples da faculdade (abstracts, textos pra leitura de mestrandos, etc.) e dava aula de reforço para alunos do ensino fundamental e médio.

      Mas se você acha que não terá talento em marketing pessoal, mas mais talento intelectual, daí um caminho é fazer Letras e seguir de imediato a carreira acadêmica, mestrado e doutorado. Nesse caso seu talento intelectual vai ter mais chances de ser valorizado sem você precisar de marketing.

      Resumindo: você pode escolher qualquer faculdade e ainda assim ser um tradutor bem sucedido. E se você quiser um diferencial no currículo, ainda poderá fazer uma especialização em tradução, ou fazer uma prova (super difícil, dizem) pra credenciamento profissional na Abrates (Associação de Tradutores). https://abrates.com.br/sobre-credenciamento/

      https://www.facebook.com/groups/professoreseescolasdeingles/permalink/1639201999456695/?__xts__[0]=68.ARB8PumNQlsnrjnXFNksbKUxC81rv_FeM42s1EANOazlzP2iO32opt4Hz8yPq7cpFxx9QjbS2r6cwSPMx2tRqRTFoCB5uKmdMMCg8FpraKUrck8hvjk6wdnsXlbnKdNfDWV-YQ0&__tn__=-R

      Excluir
  14. Aramis Costa da Cunha3 de setembro de 2018 13:44

    Eddy sou mesmo q falou q estava fazendo o rosetta stone!
    Acabei de terminar ele.
    Amanhã mesmo começo o curso de idiomas da globo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorei um pouco pois copiei todo o rosetta stone pro caderno , sem olhar pro q tava escrito no rosetta e só olhando pra ver se eu tinha copiado certo.
      Sendo assim treinei muito listenning e wrinting.

      Excluir
    2. Uau!!!! Quanto trabalho! Parabéns! Você fez todos os 5 níveis?! Se vc escrever uma review ou vídeo, coloque aqui pra gente ver. Ou se puder dizer suas impressões, o quanto vc acha que aprendeu, acha que consegue manter um diálogo?

      Excluir
    3. Com toda sinceridade do mundo acho q não!
      Mas é aquilo só acho pois em momento nenhum pratiqueo conversação!
      Acho q devo fazer um outro video assim q terminar o curso globo no qual estou usando o mesmo processo de escutar e copiar!
      Cara é aquilo a 4 meses atras eu não entendia quase nada de inglês só o basicão mesmo no nivel de the book is on the table.
      Mas não usei o rosetta sozinho junto a ele ouvi podcasts usei o anki e li muitos readers.
      Acho q uma pessoa q usar o rosetta achando q vai aprender tudo dali quando chegar no final do terceiro nivel vai perceber q ja passou da metade do curso e vai se tocar q não tem como aprender tudo por ali.
      Aí ela tem duas opções:
      Desistir ou insistir.
      A 2 anos atrás eu desisti exatamente quando cheguei no início do nivel 3.
      E se não fosse essa tua dica do curso globo talvez não teria tido gas determinar o rosetta e partir pra outro!

      Excluir
    4. A proposito achei o wavepad muito complicado entao baixei o audiopo que tem a opção de voltar o audio de segundo em segundo com um botão sem correr o risco de voltar todo o audio ou passar pro próximo audio sem querer.
      Que é uma ótima pra quem quer ouvir o audio varias vezes igual eu fazia no rosetta.
      Fica a dica aí pra galera que for fazer o curso de idiomas globo!

      Excluir
    5. Vou procurar esse programa. Quando eu terminei Italiano, senti que conseguia manter uma conversa. Mas claro que italiano é muito mais fácil nesse sentido. Fiz também os 5 níveis de alemão mas consigo falar só o básico... consigo manter uma conversa bem primitiva.

      Se vc tiver interesse em testar seu nível de inglês de forma mais ou menos oficial, tem esse teste da EF. https://www.efset.org/free-english-test/

      Aliás, recomendo a todos que querem aprender línguas pra usar profissionalmente fazer um teste de proficiência, como de Cambridge. Um teste de nível C1 ou C2 acrescenta muito ao currículo. Quero fazer em breve um de italiano.

      Excluir
  15. Um amigo mais acima perguntou se dá pra ler livros em inglês com o curso da globo.Eu ,queria saber se dá pra ler livros (literatura )fazendo o curso globo de alemão.Pois é um sonho antigo meu ,aprender alemão para ler literatura principalmente.Pergunto isso porque quase todos,pela exposição a lingua inglesa tem alguma base e é fácil aprender muito mais fáclmente.Será que consigo atingir bom nivel de reading só com o curso globo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que sim. O foco do Top Level é justamente esse. As atividades são baseadas em trechos de filmes e literatura. Mas quanto à dificuldade, claro que vai de cada um, mas o alemão me parece bastante difícil. Eu estudo há anos mas nunca saí do básico. Mas também nunca me dediquei tão a fundo... fiz o Rosetta Stone completo, fiz os níveis 1 e 2 do Pimsleur e algumas outras lições básicas de outros materiais... ou seja, nunca saí do básico. Talvez eu tenha me enrolado muito em vez de partir pra algo mais aprofundado. Claro que tenho agora uma boa base pra prosseguir... Mas enfim, se vc entrar a fundo com o curso da Globo, tem material pra vc atingir nível avançado.

      Excluir
  16. Dica que eu dou pra quem ta estudando por esse material é:
    Existe 4 unidades de gramática em cada livro porem elas tem explicações muito rebuscadas e e de dificil compreensão.
    A dica é:
    Pega o topico e bota no youtubeao invés de tentar aprender só por ali.
    Ex:
    Tópico - Prepositional meaning.
    Nao desanime se vc não entender todo o siguinificado.
    Outra dica q dou é:
    Leia muitos readers em baixo estarei postando um site só de readers.
    Eles se dividem em muitas categorias que vai to eementary ao advanced.
    E junto acompanha um audiobook pra quem quer treinar o listening.
    Pra melhor aproveitamendo do reader:
    1 leia ele sozinho sem audio.
    2 leia ele junto ao audio.
    3 escute só o audio sem ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://english-e-books.net/elementary/

      Usem e abusem desse site.

      Excluir
  17. Você conhece o método assimil? recomenda?
    Estou em duvida entre o curso globo e suplementar o listening com pimsleur ou ir direto pro assimil...outra coisa, desses cursos publicados no brasil também existe o da folha e o pro-english international horizon, já ouviu falar?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Crom! Não conhecia esses outros materiais! Mas o Assimil e conheço e gosto. Porém os Cursos da Globo são mais completos. Eu uso o Assimil como material complementar. Mas na verdade talvez sejam até um pouco mais antigos que os cursos da Globo (mesmo nas novas edições, parece que eles utilizam as mesmas gravações antigas). Eu mostrei o Assimil de italiano para um amigo italiano nato, e ele me disse que esse tipo de italiano é da década de 50 (ele comparou a filmes dessa época) e as pessoas hoje não falam exatamente daquela forma. Ainda assim eu acho válido. No início dos anos 2000 (ainda sem acesso à internet), comecei a estudar Francês com um livro de 1915 da biblioteca da minha escola!!! Aprendi muita coisa. Mas é sempre bom complementar com materiais atuais, ou praticar com notícias, filmes, etc. Eu gosto muito de aprender com reportagens da Euronews que traz a transcrição dos vídeos.

      Excluir
    2. Ola Eddy, Procuro estudar outros idiomas alem do INGLES no qual eu sou fluente. e obviamente sempre estudo coisas novas tambem no mesmo. Atualmente leciono em INGLES em dois cursos. Sobre o ASSIMIL, posso fazer algumas observações, Tenho todos os livros e áudios, tanto originais ( fita K7) quanto em mp3, existem 2 versões oficiais dele, a primeira baseada no idioma dos anos 50 60 é sim bem antiga, vinha com uma capa dura de cor bege e se chamava ASSIMIL ( NOME DO IDIOMA ) SEM MESTRE . Depois apareceu o NOVO ASSIMIL SEM ESFORÇO, em meados dos anos 80 , no final dos anos 90 vieram apenas com uma embalagem diferente, mas segue o mesmo padrão. Mesmo sendo considerado "antigo",tenho alguns colegas alemães que acharam ate muito boa. Atualmente estudo e aperfeiçoo meu alemão nos da GLOBO, que sao sim muito bons e mais completos e modernos do que o do ASSIMIL.

      Excluir
  18. Só uma dúvida quanto a como tu procedia pra estudar o material.Você ficava pausando pra dar um tempo de resposta maior do que exige os fasciculos ?Ou seguia sem pausar,direto ,como ordenado no início ,depois de como você falou escutar mais vezes do que duas?Eu estou fazendo a primeira vez parando e repetindo ,o que torna mais demorado e na segunda eu tento sem pausar como ordenado, estou apanhando nesse começo ,algumas vezes cheguei a gastar mais de três horas.A adotei alguns dos seus métodos ,mais não entendi alguns pontos;Você repetia a primeira frase do livro depois de escutar três vezes ou de cada sequência .Sei que já explicou duas vezes no post ,mas esclareça alguns pontos.Por exemplo :você lia três vezes no final;ou dividido entre a aula?

    ResponderExcluir
  19. Sou o do comentário acima.Esqueci de dizer que o curso é o de inglês,e tenho algum conhecimento de inglês por ter feito mais de metade do assimil e parado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, eu dei aula de inglês no CCAA, e eles ainda seguem o método audiolingual (que eu descrevi nesta postagem, também é a base dos Cursos da Globo). Tem muita repetição, os alunos repetem tanto que acabam memorizando TODOS os diálogos. Aliás, é cobrado deles a memorização dos diálogos, é quase uma lavagem cerebral. Mas acabam aprendendo... não é raro os alunos de níveis mais avançados ainda conseguirem lembrar de cor diálogos dos livros iniciais... Então quanto mais vc repetir, mais vai reter a informação.

      Então, costumo dar pausa na gravação quando acho necessário. Repito 3 vezes seguidas a mesma frase apenas quando é muito longa ou difícil, assim consigo fixar na memória e repetir. Mas não faço isso pra todas as frases, principalmente quando acho o diálogo muito fácil ou não tem muitas palavras ou estruturas novas. Mas não leio em voz alta três vezes, não. Às vezes eu leio todo o diálogo uma vez em voz alta pra tentar memorizar antes de assumir o papel dos personagens.

      Mas todos esses passos que descrevi anteriormente uso de forma bem flexível. Se é fácil, vou pra frente sem enrolar muito... Mas se eu tenho dificuldade, repito mais vezes. Enfim, você precisa encontrar a melhor forma que a tua mente prefere pra reter a informação.

      Pra fazer essas repetições, gostei bastante do aplicativo Audipo que recomendaram acima.

      Excluir
    2. Quando estou com paciência e bastante vontade, uma coisa que faço também ao final da lição é apenas observar as imagens e recontar as histórias com as minhas palavras... sem ler ou ouvir nada, apenas falar pra praticar e reforçar o que eu aprendi na lição. E tudo isso pode levar bastante tempo sim... Geralmente levo 1h30... 2 horas por lição. Claro que eu tenho estudado italiano, é mais próximo ao português, então é menor a dificuldade de compreensão e de retenção das palavras. Acho que brasileiros naturalmente têm mais dificuldade com o inglês... então talvez precise de mais tempo. Mas um dia pretendo estudar alemão com esse material... daí o bicho vai pegar!

      Excluir
  20. Muito bom seu blog, onde consigo localizar o áudio do curso de idiomas globo top level? tenho uma parte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigado pela mensagem! Você pode encontrar a coleção completa dos Idiomas Globo neste link:

      https://mega.nz/#F!CRYwnR7L!qDVaF-KxOF64iwAAIYIP3w

      Excluir
  21. Instalei as versões mais atuais e não muda nada em relação a 3. Então vou usar a mais antiga pq ela mostra o progresso nos estudos e isso motiva muito. Comecei o japonês no RS, vamos ver como me saio. O que acha de lançar um desafio com os leitores do blog para todos aprendermos um mesmo idioma em 2019 pelo RS? Parabéns pelo blog!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felipe! Obrigado pela mensagem! Eu também faço a mesma coisa: uso a versão 3 porque tem o relatório de progresso dos estudos, número de horas, etc. O problema é que essa versão costuma dar erro no meu computador (na hora de abrir dá uma mensagem de erro, geralmente resolve reiniciando a máquina). A versão 4 é mais estável... mas o conteúdo é o mesmo. Gostei da ideia de lançar esse desafio aos leitores, gosto muito de ler depoimentos, a gente sempre aprende novas técnicas e tira ideias. Vou pensar sobre o assunto. Obrigado pela dica!

      Excluir
    2. PROGRAMA: Rosetta Stone v3
      IDIOMA ESTUDADO: Japonês
      NÍVEL CONCLUÍDO: 1
      TIPO DE CURRÍCULO: standard
      PONTUAÇÃO GERAL: 98%
      TEMPO GASTO: 15.3 horas
      Curso completo num total de 14 dias, média de 1h05min por dia.

      Comecei a estudar o curso de japonês nível 1 do Rosetta Stone no dia 09 de dezembro de 2018 e terminei no dia 23/12. Estudei todos os dias.

      RESULTADOS PRÁTICOS DO MEU ESTUDO
      Bom, primeiramente preciso deixar claro que não sou um completo iniciante no japonês, anteriormente completei os 3 níveis fornecidos pelo Memrise além de consumir bastante material nativo e usar o anki diariamente. O nível 1 do Rosetta Stone foi bem tranquilo pra mim, praticamente tudo que apareceu no curso eu já conhecia. O interessante é que coisas que aprendi ano passado e nunca mais vi se repetiram exaustivamente no RS. Abaixo segue algumas observações sobre os pontos principais.

      VOCABULÁRIO: 90% do vocabulário apresentado eu já conhecia, como não segui uma ordem quando comecei aprender, foi a primeira vez que me deparei com substantivos e verbos simples como “Torneira, escada, vaso, derrubar, etc...”, procurei exemplos de frases com estas palavras e adicionei no anki.

      GRAMATICA: No japonês existe as partículas, as funções gramaticais delas são parecidas com as preposições do português, é um assunto tão complicado que mesmo os nativos enfrentam dificuldades e existem livros enormes sobre o assunto lá no Japão. No RS o fato de ter vários exercícios sobre o assunto, acabou me forçando a melhorar bastante o meu entendimento sobre elas. Foi justamente nesses exercícios que gastei a maior parte do meu tempo porque tive que refazer algumas lições. Gostei bastante de logo no nível 1 ter algumas fases com verbos transitivos. Porém todos os verbos e adjetivos (sim, se conjuga adjetivos em japonês, rsrs) apareceram apenas no presente.

      SPEAKING/PRONUNCITION: Não gostei das lições de fala, sempre que aparecia exercícios para se pronunciar as vogais longas o RS me trollava, acabei me irritando e desativei o MIC na última parte do nível.

      WRITTING: Essa parte foi criada pra quem realmente é iniciante e está fazendo o curso em romaji, eles te obrigam a digitar o nosso alfabeto, pra mim acabou sendo inútil, pois estudei com os kanjis e sem furigana. Espero que em romaji seja apenas no nível 1, se for assim em todos será uma grande decepção.

      CONCLUSÃO
      Não aprendi tanta coisa assim, mas o tempo estudado foi muito útil para fortalecer o que eu já conhecia, já dei uma passada rápida no próximo nível e percebi que não será tão fácil assim. Apesar da correria do final do ano, acho que consigo terminar até lá pelo dia 10 de janeiro, logo compartilharei minha experiência com vocês.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Esqueci de falar sobre os sufixos de contagem, temos quase 100 deles em japonês e aparecem o tempo todo, são usados para contar todo tipo de objeto. É um inferno para todo estudante de japonês memoriza-los e nesse nível 1 do RS consegui aprender cerca de 6 deles, tinha exercicio de gramática focado apenas nestes sufixos, isso foi muito bom. Pra quem não sabe, temos algo parecido em português, exemplos → três cabeças de gado, duas folhas de papel, cinco garrafas de água... porém são bem menos utilizados, em japonês eles são obrigatórios.

      Abaixo as fotos tiradas do software com o meu desempenho.
      Rosetta Stone - Nivel finalizado

      Rosetta Stone - Estatisticas do nível 1

      Excluir
    5. Wow! Parabéns pelo seu progresso, Felipe! Muito bom vc ter compartilhado sua experiência aqui! Estou pensando em modificar o blog, criar uma página aqui pra que as pessoas possam colocar depoimentos assim de forma mais organizada, pra que não fique tudo perdido entre os comentários... Talvez um "guestbook". Bem... vou ter que estudar o design do blogger e ver se isso é possível. Se eu conseguir, seria muito interessante ver mais depoimentos como o seu. Obrigado!

      Excluir
    6. Entrando de intruso, nesse ponto que o Orkut faz falta. Era tão bom quando organizávamos tudo em tópicos...

      Excluir
  22. Só pra vonstar q ainda continuo estudando no curso de idiomas o globo. (Copiando ele todo para um caderno e usando o audiopo pra repetir inúmeras vezes o audio q eu quero)
    Comecei hoje o fasciculo 13.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm estou adorando o audiopo! Valeu muito a dica! Copiar ou fazer ditado é uma das melhores formas de aprender a escrita e fixar o conteúdo. Eu tbm faço ditado às vezes com reportagens da Euronews, que tem a transcrição dos vídeos. A transcrição não é 100% igual ao áudio... mas muda só uma coisa ou outra, dá pra fazer.

      Excluir
    2. O mesmo método de copiar também fazia no curso de idiomas Globo, copiava cada lição em inglês e depois colocava a tradução em português em baixo e assim fazia com o vocabulário inglês Português, eu terminei o curso básico e já estou na metade do top level e até hoje em uma semana a cada dois meses tiro para repetir o curso básico lendo e escutando. O método de escutar e repetir entra de uma forma que você não esquece as lições, essa forma permite que você comece a juntar vocabulário, sentenças de frases a pegar esse vocabulário e frases e formar diálogos !!

      Excluir
  23. Boa tarde

    Qual a diferença entre a coleção com 4 volumes do alemão amarelo e os 18 fasciculos pretos?
    Há edições com 20 fitas e 18. Qual diferença?

    Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho o de Espanhol em 4 volumes e comprei a edição em fascículos em um sebo pra dar de presente. O conteúdo é o mesmo. Acredito que para as outras línguas também.

      Excluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Olá, fiquei de dar o meu relato sobre o Nivel 2 do curso de japonês. Pra ser sincero eu ainda não terminei, já passei da metade da parte 4 (a última). O motivo do meu atraso é que por me deparar com muita coisa que não conhecia, achei melhor pesquisar (mais) e adicionar no anki aquilo que era novo pra mim. Substimei o nível 2 e achei que seria mamão com açucar como no 1, hahaha Em breve conto como foi a experiência. Até mais.

    ResponderExcluir
  26. NÍVEL CONCLUÍDO: 2
    TIPO DE CURRÍCULO: standard
    PONTUAÇÃO GERAL: 97%
    TEMPO GASTO: 18 horas
    Data de início: 25 de dezembro de 2018
    Data de término: 18 de janeiro de 2019
    Número de dias de estudo: 15 dias
    Total de horas para completar o nível 2: 33 horas e 18 minutos

    Comecei a estudar o curso de japonês nível 2 do Rosetta Stone no dia 25 de dezembro de 2018 e terminei no dia 18 de janeiro de 2019. Não estudei todos os dias.

    RESULTADOS PRÁTICOS DO MEU ESTUDO
    Bom, a unidade 1 deste nível foi bem fácil para mim, fiz em um ritmo mais acelerado, conseguindo completar em apenas 2 dias, fiquei super empolgado e comecei a unidade 2 logo em seguida.

    Me deparei logo nas primeiras lições com verbos e adjetivos no passado, que em boa parte não conhecia. Senti que as coisas começaram a se complicar. Nas revisões finais da unidade 2, acabei percebendo que já estava esquecendo de algumas coisas, foi então que resolvi rever o conteúdo do nível 1 e dar um “fatality” nessas palavras adicionando-as no anki. No fim, adicionei 189 cartas em contexto. Demorou um pouco, mas valeu a pena, sinto que certas estruturas não esquecerei tão cedo.

    VOCABULÁRIO: Aprendi muita coisa nova, se no nível 1 eu já conhecia 90%, nesse 2 acho que não era nem 50%. Aprendi novos substantivos, verbos, adjetivos, estruturas...

    GRAMATICA:
    O nível 2 apresenta diversas outras funções para as mesmas partículas apresentadas no nível 1, desta vez não foi tão complicado pois eu já tinha a base aprendida anteriormente. Me deparei também com mais sufixos de contagem e mais algumas outras particularidades gramaticais do japonês

    SPEAKING/PRONUNCIATION:
    Confesso que não fiz muitos exercícios de pronúncia, como dito anteriormente, é bem chato tentar pronunciar as vogais longas em um software que sempre pede para repetir, acho desmotivante. Mas não fiquei sem praticar. Fiz como o Eddy orientou em um dos posts sobre o italiano de sempre repetir em voz alta, está me ajudando bastante.

    WRITTING:
    Como havia previsto, nada de escrita japonesa aqui. Infelizmente eles querem a transcrição romanizada do que é dito em japonês. Desta vez apareceram apenas palavras em “katakana”, que é outro “alfabeto” exclusivo para palavras estrangeiras (maioria inglesa). Não tinha reparado antes, mas no nível 1 eram apenas hiragana, que é o “alfabeto” exclusivo para as palavras japonesas. Seguindo essa lógica, o nível 3 deve ser com os kanjis, espero ter a chance de tentar escrevê-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCLUSÃO
      Para mim o ponto forte desse nível são as combinações de palavras, algo parecido com o que é chamado de “collocations” em inglês, vou dar um exemplo, caso alguém não conheça:
      Aprendi que bicicleta em japonês se diz “jitensha” e que andar significa “aruku”, mas andar de bicicleta não é “jitensha ni aruku” e sim “jitensha ni noru”, pesquisei depois e aprendi que “noru” é um verbo específico que significa “embarcar” e é usado para todos os meios de transporte. Esse “ni” entre o substantivo e o verbo é uma partícula gramatical.
      Outro exemplo é “Fazer uma ligação”, “chamada” significa “yobu” e fazer é “shimasu”, mas se você quer dizer que vai fazer uma ligação/chamada, não deve dizer “yobu wo shimasu”, o correto é “denwa wo shimasu”, sendo que “denwa” sozinho significa o substantivo “telefone”. São apenas algumas que me lembrei.

      Sinto que melhorei bastante em coisas simples do dia a dia. Não sei se consigo manter uma conversa com um nativo por muito tempo, tenho que pensar muito, para mim a maior dificuldade é a ordem das frases, preciso me expor ainda mais ao idioma para vencer essa barreira, o Rosetta ajuda muito nisso por ser todo no idioma alvo.
      Já ia me esquecendo, assistindo doramas (novelas japonesas) na netflix, consigo identificar muitas coisas e até perceber alguns erros nas legendas, hehe
      Não vou definir um prazo para a finalizar o nível 3, acredito que vou demorar bem mais pois pretendo ser ainda mais rigoroso com o que é novo para mim. Então até a próxima. Vida longa mestre @Eddy.

      Rosetta Stone - Nivel 2 finalizado

      Rosetta Stone - Estatisticas do nível 2

      Excluir
    2. Felipe oliveira, você acha que em quantos meses/anos vai estar apto a assistir um anime e ler mangas sem problemas?

      Excluir
  27. Não tem como saber, mas acho dificil consumir material da cultura pop usando apenas o RS, lembrando que japonês possui apenas 3 níveis enquanto nos outros idiomas são 5. Vou procurar outros materiais de estudo para me aprofundar na linguagem coloquial.

    ResponderExcluir
  28. Gostaria de saber à respeito dos materiais de Espanhol e Francês do Curso Idiomas Globo. Se eu fizer, seria possível chegar ao nível B2? Desde já, obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. É totalmente possível. Se vc fizer o Top Level, pode chegar inclusive ao C1.

      Excluir
  29. De que ano é o curso de idiomas globo de inglês?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei precisar exatamente o ano do primeiro lançamento, provavelmente final dos anos 80... mas ele foi relançado várias vezes... O inglês em particular foi relançado nas bancas até a década de 2000.

      Excluir
  30. Rapaz, achei massa ao ver seu blog ainda ativo. O encontrei em meio aos backups do convalescente G+, lembrando que tudo havia começado nas discussões no falecido Orkut. Com o fim desse e a perda de muito material (entre discussões, tutoriais e muita coisa boa que tinha na comunidade Rosetta Stone, essa que eu tive orgulho de administrar na rede social, ajudando muita gente), me bateu um desânimo e me entreguei a outros projetos. Nesse meio tempo ainda tentei me aventurar pelo Livemocha, que não durou muito atéa a Rosetta Stone resolver descontinuar a plataforma. E eu descontinuei os estudos, até resolver voltar a essa jornada de conhecimento. Recentemente coloquei a versão 5 do Rosetta Stone no notebook, mas mal mexo. Estou me aventurando no Espanhol. Terminei o Duolingo, e estou caminhando a passos lentos (o tempo de estudos é muito curto) apenas pelo Android, que atualmente tenho instalado: Duolingo, Rosetta Stone, Babbel, Busuu, Drops, Mondly e ABA. Mas é isso, fico feliz ao ver a galera com vontade de aprender. Força, foco, fé e podemos mover montanhas. Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal receber sua mensagem aqui! Sim! Me lembro muito bem do grupo Rosetta Stone do Orkut! Me lembro que quando entrei no grupo havia talvez algumas dezenas ou poucas centenas de pessoas... no comecinho do Orkut... e depois cresceu muito! Havia altas discussões e contribuições... ainda usávamos a versão 1 do Rosetta Stone... eu havia comprado os CDs pelo Mercado Livre, porque nem todo mundo naquela época tinha internet rápida pra fazer download ou upload do material... Acho que tentamos migrar o grupo para o VK (o Orkut russo, que era a grande promessa), mas nunca deslanchou no Brasil... e o G+ tbm nunca colou... E no Facebook em comparação tudo parece ser muito descartável e superficial, vc lança uma discussão, e não dura poucas horas.. vc dá uma contribuição e amanhã talvez ninguém vai mais ver ou lembrar... Não tem o mesmo espírito do Orkut, onde uma mesma discussão chegava a durar dias... e sempre ressuscitavam os tópicos... quer dizer, as coisas lá ficavam mais organizadas e menos perdidas que no Facebook.

      Sobre os estudos, estou adorando usar o Duolingo. Na verdade eu havia experimentado um tempo atrás e não havia gostado. Mas eles atualizaram e ficou muito legal. A metodologia em si é bem simples (basicamente tradução), mas o que acho legal é que o curso consegue prender o estudante, a gente acaba persistindo, não deixar o fogo apagar, ficar no ranking, etc... dá pra viciar. rrsss... Quem sabe eu faça uma review pra colocar aqui no blog.

      E sobre o blog. Tem muitas contribuições legais aqui! Muita gente comentando! Infelizmente eu não tenho muito tempo pra me dedicar. Eu até tentei estudar pra fazer um espaço melhor aqui pra discussões... sei lá, poder comentar a conta do Facebook, fazer um link com uma espécie de fórum... mas não entendo muito dessas coisas e não tenho tanto tempo. Tbm tenho outros projetos, agora depois dos 30 resolvi voltar pra faculdade e não está sendo fácil!

      Mas vou sim melhorar o blog... meu plano é postar mais coisas, dar mais atenção e destaque nas contribuições... aos poucos... apenas tenham paciência. :D

      Abraços!

      Excluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Em um dos comentários acima você disse que usou o assimil como complemento e o material globo como principal. O material globo é inglês britânico, eu tenho o assimil em inglês amaricano, na sua opinião tem problema eu misturar?. Eu fiz curso em um escola de idiomas, mas só fiz 2 anos, pois fiquei sem dinheiro. A escola adota o inglês americano, mas para complementar os estudos eu uso os graded readers (com áudio britânico); por isso eu fiquei com essa dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia, os materiais das editoras mais conceituadas (como Cambridge e Oxford) trazem um inglês como língua internacional. Desde o início os alunos ouvem gravações de falantes de vários países, nativos e não nativos, com diversos sotaques. Por exemplo, tem um material da BBC Pearson, Speak Out (vc acha os livros por aí e os vídeos no Youtube), onde um entrevistador vai às ruas e entrevista pessoas aleatoriamente, de várias nacionalidades... brasileiros, italianos, americanos, indianos, franceses, ingleses... Inclusive uma das entrevistadoras é brasileira. O curso prepara os alunos para ouvirem o inglês real de pessoas reais. A pergunta: tem algum problema estudar com dois materiais diferentes que trazem dois tipos de inglês? Bem... os melhores materiais hoje trazem VÁRIOS tipos de inglês... não vejo nenhum problema, muito pelo contrário, vai ampliar seu conhecimento.

      Quer dizer, talvez o possível problema é vc ter de escolher qual inglês usar, ou de repente confundir, ou misturar palavras ou grafias do inglês americano e britânico no mesmo texto. Pra evitar isso, os linguistas (como David Crystal) recomendam que vc focalize suas "productive skills" (habilidades produtivas), ou seja, fala e escrita, em apenas um tipo de inglês... já para as "receptive skills" (habilidades receptivas), ou seja, compreensão auditiva e leitura, é benéfico que haja diferentes tipos de inglês.

      Então vc está no caminho certo. Como o curso da Globo é mais denso, eu recomendaria que vc aprendesse o inglês britânico como productive skills (ou seja, concentre-se na pronúncia britânica, repita bastante as falas, e tente seguir as regras britânicas tbm na escrita) e para receptive skills vc utiliza o Assimil com inglês americano. Assim vc não vai se sentir perdido sobre qual inglês utilizar ou qual pronúncia adotar.

      Excluir
    2. Mas é claro que essa decisão sobre qual pronúncia ou sotaque você quer treinar é algo muito pessoal. Vai com o que vc se identifica mais. Ou de repente seus planos para o futuro. Por exemplo, na sua profissão, será mais importante tentar puxar mais um inglês americano ou britânico? Por exemplo, se um dia pretende trabalhar ou estudar na Europa, eles preferem inglês britânico. Sobre a grafia, a americana é mais utilizada nos EUA mesmo, outros países preferem a grafia britânica. Claro que são casos específicos e não tem como prever, às vezes nem faz muita diferença... na maioria das vezes é uma decisão mais pessoal.

      Excluir
    3. Desculpa a demora pela resposta, eu fiquei sem internet por estes dias. Obrigado pelas dicas, vou refletir sobre o que você falou. No final do ano, eu pretendo voltar aqui para falar com foi minha evolução, parabéns pelo seu blog.

      Excluir
  33. Achei um texto de um gringo no Google sobre os materiais da Globo (que fora do país tinha outro nome) e da Larousse ,você concorda com o cara? Os links abaixo são os do site ,por favor dê uma olhada:

    Sobre o Atlas ou Globo: https://forum.language-learners.org/viewtopic.php?f=19&t=5898
    e sobre o da Larousse: https://forum.language-learners.org/viewtopic.php?t=6621

    ResponderExcluir